A perspectiva relacional na gestão do turismo de base comunitária: o caso da Prainha do Canto Verde

Autores

  • Andrés Burgos Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil
  • Frédéric Mertens Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Turismo de base comunitária, Participação social, Redes de colaboração, Análise de redes sociais.

Resumo

O presente trabalho parte do reconhecimento de que as relações sociais e as formas de organização em rede são importantes em projetos comunitários baseados na colaboração, assim como da necessidade de se promover uma discussão mais ampla sobre a gestão participativa e sustentabilidade turística, desde a perspectiva relacional. O estudo examina as propriedades estruturais da rede de colaboração na gestão do turismo de base comunitária na Prainha do Canto Verde (Estado do Ceará / Nordeste do Brasil). A análise de redes sociais é aplicada por meio da utilização de medidas que auxiliam na compreensão das relações entre as características estruturais da rede de colaboração e os processos de gestão do turismo de base comunitária: tamanho da rede, conectividade, densidade, distância média entre os indivíduos e centralidade. Os resultados mostram que o padrão estrutural da rede de colaboração da comunidade de estudo é bastante condizente com os fundamentos do turismo de base comunitária, que tem na gestão participativa e na organização social um de seus aspectos constituintes e diferenciadores de outras práticas turísticas.

Biografia do Autor

Andrés Burgos, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil

Mestre em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (CDS/UnB). Brasília, Brasil.

Frédéric Mertens, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil

Professor adjunto no Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (CDS/UnB). Brasília, Brasil.

Downloads

Publicado

2015-04-19

Edição

Seção

Artigos originais