Responsabilidade social corporativa em reservas naturais de iniciativa privada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18472/cvt.24n1.2024.2142

Palavras-chave:

reserva natural, meio ambiente, iniciativa privada

Resumo

A Responsabilidade Social Corporativa (RSC) teve sua origem no século XX, com o envolvimento de grandes empresas com as comunidades circundantes além do escopo de suas atividades primárias, visando aprimorar a qualidade de vida dessas comunidades. Dado que as ações de RSC desempenham um papel fundamental nas expectativas da sociedade em relação às grandes empresas e considerando a crescente relevância das iniciativas de defesa do meio ambiente globalmente. O objetivo foi analisar as manifestações de RSC nesse contexto, através de um estudo de caso comparativo entre duas reservas naturais pertencentes a grupos de mineradoras no Brasil: a Legado das Águas (LA) e a Reserva Natural da Vale (RNV). A coleta de dados foi realizada por meio de pesquisa em fontes secundárias, incluindo sites institucionais, notícias online e material promocional, juntamente com entrevistas diretas com funcionários das reservas e preenchimento de tabelas de critérios pelos gestores das reservas. O resultado apresenta critérios de análise de RSC em reservas naturais de iniciativa privada, demonstrando o desempenho desses através da avaliação da Reserva Natural da Vale e do Legado das Águas.

Referências

Ashley, P., Queiroz, A., Cardoso, A., Souza, A., Teodósio, A., Borinelle, B.; Ventura, E., Chaves, J., Veloso, L., Aligleri, L., Lima, P., Ferreira, R. (2003) Ética e responsabilidade social nos negócios. Rio de Janeiro: Editora Saraiva. Ética e responsabilidade social nos negócios. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

Associação brasileira de normas técnicas. NBR 16.001 – Responsabilidade social – Sistema da gestão. Rio de Janeiro, 2012. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 26.000 – Diretrizes de responsabilidade social. Genebra, 2010.

Borelli, Elizabeth. (2011). Sustentabilidade e riscos ambientais na indústria química. São Paulo: PUC. Recuperado em: <https://www5.pucsp.br/eitt/downloads/ix_ciclo/ IX_Ciclo_2011_Artigo_Elizabeth_Borelli.pdf.

Carroll, A. (1991). The Pyramid of Corporate Social Responsibility: Toward the Morai Management of Organizational Stakeholders. pg 39-48, Business Horizons.

Collier, J., & Wanderley, L. (2005). Thinking for the future: global corporate responsibility in the twenty-first century. Futures, 37(2-3), 169-182.

Confederação Nacional dos Municípios (2022). Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Recuperado em: < http://www.ods.cnm.org.br/agenda-2030>.

Ethos. Sobre o Instituto. Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, 2016. Recuperado em: https://www.ethos.org.br/conteudo/sobre-o-instituto/#.XU11f-hKjIU.

Garriga, E., Melè, D. (2004). Corporate social responsibility theories: mapping the territory, Journal of business Ethics pg 51 - 71.

Henrique, B. M. S. (2019). Responsabilidade social corporativa em reservas naturais de iniciativa privada: o caso da Votorantim e da Vale (Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://repositorio.usp.br/directbitstream/33c7803e-208b-4c2b-8704-609400f389ba/tc4332-bruna-henrique-responsabilidade.pdf

Instituto ethos. Indicadores Ethos para negócios sustentáveis e responsáveis – ciclo 2018/2019. São Paulo: Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, 2017.

Instituto Votorantim. Instituto Votorantim, 2019. Recuperado em: Relatório anual 2019 - Instituto Votorantim Instituto Votorantim

IUNC. Sobre. União Internacional para Conservação da Natureza, 2019. Recuperado em: <https://www.iucn.org/about>

Schommer, P. C., & Rocha, F. D. C. (2007). As três ondas da gestão socialmente responsável no Brasil: dilemas, oportunidades e limites. Anais do 31º Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação em Administração.

Kierulff, Maria. Avelar, Luiza. Ferreira, Márcio. Povoa, Karina. Bérnils, Renato. Reserva Natural da Vale – História e aspectos físicos. São Mateus: Ciência & Ambiente 49, 2016.

Kotler, P. Lee, N. (2005). Corporate social responsibility: doing the most good for your company. ISBN 0-471-47611-0 (cloth).

Kreitlon, Maria. A ética nas relações entre empresas e sociedade: fundamentos teóricos da responsabilidade social empresarial. Curitiba: 28º ENANPAD, 2004. Recuperado em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enanpad2004-gsa-2651.pdf .

Legado das águas. O Legado. Site institucional, 2018. Recuperado em:<https://legadodasaguas.com.br/o-legado/.

Legado das águas. Relatório 2017. Reservas Votorantim: 2017.

Legado das águas. Relatório 2018. Reservas Votorantim: 2018.

Legado das águas. Relatório 2018. São Paulo, 2018. Recuperado em: <https://legadodasaguas.com.br/legado/wpntent/uploads/2019/04/legado2018br.pdf>.

Legado das Águas. Site institucional LA, 2019. Recuperado em: O Legado – Legado das Águas (legadodasaguas.com.br).

Ministério do Meio Ambiente. Sistema Nacional de Unidades Conservação – SNUC. Recuperado em: <http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/unidades-deconservacao/sistema-nacional-de-ucs-snuc.html.

Ministério do Meio Ambiente. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e Plano Estratégico Nacional de Áreas Protegidas. Brasília, MMA, 2011. Recuperado em: https://sigam.ambiente.sp.gov.br/sigam3/Repositorio/511/Documentos/SNUC.pdf.

ONU. Conheça os novos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU. Nações Unidas Brasil, (2017). Recuperado em: Conheça os novos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU | As Nações Unidas no Brasil.

Pellegrini Filho, A. (1997). Ecologia, cultura e turismo (2ª Edição). São Paulo: Papirus.

Reserva Natural da Vale. Relatório de atividades 2017. Vale, Linhares: 2017.

Reserva Natural da Vale. Relatório de atividades 2018. Vale, Linhares: 2018.

Reservas Votorantim. Legado das Águas. Recuperado em: < https://legadodasaguas.com.br/>.

S/A. Reserva Natural da Vale. Site institucional RNV (2019). Recuperado em: Reserva Natural Vale - Vale.

Santos, Valdir. Vale S.A. e iavale assinam termo de reciprocidade. ICMBio, 2015. Recuperado em: <https://www.icmbio.gov.br/rebiosooretama/destaques/34-reserva-biologica-de-sooretama-e-cia-vale-renovam-termo-de-reciprocidade.html>. Acesso em: 09 de junho de 2019.

São Paulo. Termo de autorização de uso para realização de atividades turísticas no Parque Estadual do Jurupará. Fundação para a Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo: São Paulo, 2018. Disponível em: Acesso em: 20 de novembro de 2019.

Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Lei 9.985 (2000). Brasília, 2000. Recuperado em: https://www.gov.br/mma/pt-br/.

Solomon Prince Nathaniel, Ngozi Adeleye (2021). Environmental preservation amidst carbon emissions, energy consumption, and urbanization in selected african countries: Implication for sustainability, Journal of Cleaner Production, Volume 285, 125409, ISSN 0959-6526, https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2020.125409.

Souza, João. Congressos Mundiais de Parques Nacionais da UICN (1962-2003): registro e reflexões sobre o surgimento de um novo paradigma para a conservação da natureza. Brasília, Universidade de Brasília, 2003. Disponível em: <http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/1229/1/18914_ULFC072532_TM.pdf> Acesso em: 18 de maio de 2019.

Unesco. Principais características das Reservas da Biosfera. UNESCO, 2017. Recuperado em: <http://www.unesco.org/new/en/naturalsciences/environment/ecologicalsciences/biosphere-reserves/main-characteristics/>.

Unesco. World Network of Biosphere Reserves (WNBR). Paris, 2017. Recuperado em <https://www.eea.europa.eu/pt/sinais-da-aea/sinais-2013/artigos/o-ar-da-europa-nopresente>.

Vale. Reserva Natural da Vale. Recuperado em: < http://www.vale.com/brasil/ PT/initiatives/environmental-social/natural reserve/Paginas/default.aspx>.

Votorantim. Sobre a Votorantim. Site institucional, 2018. Recuperado em: http://www.votorantim.com/votorantim.

Downloads

Publicado

2024-04-25

Como Citar

Henrique, B. M., Cavalcante, J. de S., & Raimundo, S. (2024). Responsabilidade social corporativa em reservas naturais de iniciativa privada. Caderno Virtual De Turismo, 1(1), 72–92. https://doi.org/10.18472/cvt.24n1.2024.2142

Edição

Seção

Artigos originais