O turismo como protagonista da requalificação em áreas de decadência urbana: estudo de caso da Avenida W3 Sul em Brasília, Brasil

Autores

  • Diogo Diniz De Sousa Universidade de Brasília (UNB), Brasília, DF, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18472/cvt.24n1.2024.2115

Palavras-chave:

decadência urbana, turismo no espaço urbano, requalificação urbana, Avenida W3 Sul, Brasília

Resumo

O fenômeno da decadência urbana ocorre quando áreas da cidade são “abandonadas”, usualmente, segundo Correa (1989), de acordo com intencionalidades de agentes-atores que produzem espaço. Porém, essas áreas são passíveis de serem recuperadas, a partir de um processo de requalificação urbana – e em decorrência de suas características, a função turística vem sendo adotada como uma das principais alternativas de desenvolvimento de áreas urbanas decadentes. Esta requalificação depende do envolvimento da comunidade e/ou de parcerias público-privadas, embora estas últimas possam criar, conforme argumenta Carlos (1996), “não-lugares”. O artigo apresenta uma pesquisa qualitativa baseada em um estudo de caso - a Avenida W3 Sul, em Brasília, Brasil -, buscando relacionar, através da lente do turismo, os processos de decadência urbana e requalificação. Como resultado, constatou-se que há uma requalificação incipiente, provacada pela atividade turística, em um trecho da via.

Referências

Balsas, C. J. L. (2019). Urbanismo comercial: revitalização, parcerias e gestão urbana. 2ª. Curitiba: CRV.

Beni, M. C. (2004). Análise estrutural do turismo. 10ª edição. São Paulo: SENAC.

Botelho, E. S. & Maciel, G. G. (2018). A reprodução capitalista do espaço urbano: uma análise sobre as implicações da concessão de serviços do Parque Nacional da Tijuca – RJ. Caderno Virtual de Turismo. Dossiê temático Turismo, Natureza e Cultura: diálogos interdisciplinares e políticas públicas. Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 23-39. DOI: http://dx.doi.org/10.18472/cvt.18n3.2018.1554

Boullón, R. C. (2002). Planejamento do espaço turístico. [Planificacíon del espacio turístico]. (Trad.: J. Baptista, 2001). 3ª edição. Bauru: EDUSC.

Camargo, L.R.T. (2019). Paisagem e imaginário: configurações da W3 Sul em Brasília. (Dissertação de Mestrado, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, Brasil). Acesso: https://repositorio.unb.br/handle/10482/35735

Carlos, A.F.A. (1996). O turismo e a produção de não-lugar. In: Yazigi, E. Et. Al. Turismo: espaço, paisagem e cultura (pp. 25-37). São Paulo: Hucitec.

Castrogiovanni, A. C. (2000). Turismo e ordenação no espaço urbano. In: Castrogiovanni, A. C. (org.). Turismo urbano. (pp. 11-21). São Paulo: Contexto.

Correa, R. L. (1989). O espaço urbano. São Paulo: Ática.

Gastal, S., & Moesch, M. (2007). Turismo, políticas públicas e cidadania. São Paulo: Aleph.

Harvey, D. (2006). A produção capitalista do espaço. 2. ed. São Paulo: Annablume.

Jacobs, J. (2011). Morte e vida de grandes cidades. [The death and life of great American cities]. (Trad: C. Rosa, 2011). 3ª edição. São Paulo: WMF Martins Fontes.

Monteiro, J. C. C. D. S. (2023). Turistificação e regeneração urbana: o caso do projeto Porto Maravilha na zona portuária do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, 25. DOI: https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202303

Oliveira, L.Y.Q.; Castilho, M.A. (2021). As faces do desenvolvimento urbano: origens e principais movimentos urbanísticos. Colóquio – Revista do Desenvolvimento Regional. 18 (3 jul̸set) 87-106. DOI: https://doi.org/10.26767/2121

Penerai, P. (2006). Análise urbana. Brasília: EdUnB

Pintaudi, S. M. (1987). Os shopping centers brasileiros e o processo de valorização do espaço urbano. In: Boletim Paulista de Geografia, nº 65, Associação de Geógrafos Brasileiros.

Santos, M. (2014). Espaço e Método. 5ª Ed. São Paulo: EdUSP.

Sousa, D. (2023a). A fantasia de que será o que já foi: uma observação geográfica sobre a Avenida W3 Sul a partir das ações governamentais pós-2019. Revista Espaço e Geografia, 25(1). Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/espacoegeografia/article/view/43528

Sousa, D. (2023b). Uma geograficização a partir do uso do território das operações urbanas consorciadas e seus impactos no turismo e nos espaços de lazer: estudo de caso nas margens do Lago Paranoá, Brasília, Brasil. Revista Territorial. v. 12 n. 2. DOI: https://doi.org/10.31668/rt.v12i2.13735

Wainberg, J. (2000). Cidades como sites de excitação turística. In: Castrogiovanni, A. C. (org.). Turismo urbano. (pp. 11-21). São Paulo: Contexto.

Downloads

Publicado

2024-04-25

Como Citar

Sousa, D. D. D. (2024). O turismo como protagonista da requalificação em áreas de decadência urbana: estudo de caso da Avenida W3 Sul em Brasília, Brasil. Caderno Virtual De Turismo, 1(1), 22–35. https://doi.org/10.18472/cvt.24n1.2024.2115

Edição

Seção

Artigos originais