Patrimônio cultural naval e proposta de roteiros turísticos para as embarcações tototós pelo estuário do Rio Sergipe

Gabriela Nicolau dos Santos, Ivan Rêgo Aragão, Acacia Maria Barros Souza

Resumo


Desde o final da década de 1940, as embarcações do tipo tototó cumprem a função de transportar passageiros entre as margens na foz do baixo Rio Sergipe. Em 2011, receberam o título de Patrimônio Cultural e Imemorial do Estado de Sergipe pelo Decreto-Lei n. 7.320. A partir da pesquisa bibliográfica, trabalho de campo e adoção da metodologia do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC/Iphan), o presente estudo propõe roteiros turísticos pela foz do Rio Sergipe proporcionando outros itinerários para essas embarcações. Uma das soluções verificadas em campo se pautou na elaboração de roteiros dentro do segmento do Turismo de Base Comunitária, onde os canoeiros seriam protagonistas desses circuitos gerando um impacto positivo para a cadeia produtiva do turismo em Barra dos Coqueiros. Essa ação poderia tornar-se uma ferramenta de educação, conhecimento e preservação dos bens culturais e ambientais que se vinculam ao espaço, sendo o ofício do canoeiro e os demais saberes da localidade, valorizados. Os roteiros seriam geridos pelos próprios barqueiros ou pessoas da comunidade interessadas em desenvolver o turismo sob essa ótica.

Palavras-chave


Patrimônio Cultural Naval. Turismo de Base Comunitária. Embarcações Tototós.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18472/cvt.16n2.2016.1152