Dos costumes ao espetáculo: a transformação da festa junina campinense em “o maior São João do mundo”

Autores

  • João Gabriel de Lima Perdigão Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.
  • André Luiz Maranhão de Souza Leão Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.

Palavras-chave:

São João de Campina Grande, identidade cultural, megaevento, tradicional, moderno.

Resumo

O São João de Campina Grande (PB) se tornou um evento de repercussão nacional e internacional. Partindo de um caráter cultural e regional, com resgate às raízes nordestinas, elementos de grande espetáculo foram inseridos ao longo dos anos, transformando-o num megaevento. Com isso, a identidade da festa passou a ser manifestada por diversas formas. Nesse sentido, questiona-se: como se configura a identidade cultural do São João de Campina Grande com a sua transformação em megaevento? Para isso, realizamos uma pesquisa qualitativa por meio de entrevistas. Os dados foram acessados junto a quatro grupos de agentes produtores da festa e analisados por meio de análise de discurso. Os resultados revelam que a identidade cultural do São João de Campina Grande se configura pela existência de dicotomias que sustentam dois discursos identitários: o tradicional e o moderno.

Biografia do Autor

João Gabriel de Lima Perdigão, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.

Mestre pelo Mestrado Profissional em Administração da Universidade Federal de Pernambuco

André Luiz Maranhão de Souza Leão, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil.

Tenho doutorado em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco, onde sou professor adjunto do Departamento de Ciências Administrativas (DCA/UFPE), sendo membro permanente do Programa de Pós-graduação em Administração (PROPAD/UFPE) e Coordenador Geral do MBA Executivo (MBA/UFPE). Sou bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq; avaliador ad hoc do CNPq e da CAPES e de diversos periódicos e encontros científicos; líder do tema Marketing e Sociedade da Divisão de Marketing da ANPAD; colíder do Lócus de Investigação em Economia Criativa; orientador de mestrado e doutorado; e coordenador de diversos projetos patrocinados por agências de fomento. Tenho histórico de produção acadêmica sobre marcas e cultura de consumo. Atualmente estou alinhado à perspectiva dos Estudos Críticos em Administração e focado na investigação das dimensões social, econômica e política do divertimento, tendo como agenda prioritária de pesquisa os seguintes tópicos: universos fantásticos e lúdicos; esportes de massa; manifestações culturais; e práticas sociais criativas.

Downloads

Publicado

2015-04-18

Edição

Seção

Artigos originais