Polos de turismo no nordeste do Brasil: crescimento, desenvolvimento e escassez de conhecimento

Autores

  • João Itácito de Morais Duda Mestre em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, AL, Brasil.
  • Lindemberg Medeiros de Araujo Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, AL, Brasil

Palavras-chave:

Turismo, Nordeste, Política de Polos, Desenvolvimento Regional

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar a relação entre turismo e desenvolvimento regional, com ênfase na região Nordeste do Brasil. Essa região tem sido alvo de políticas de turismo de grande escala e de longo curso desde a década de 1980, tais como a Política de Megaprojetos, o Programa para o Desenvolvimento do Turismo no Nordeste (Prodetur/NE), a política de Polos de Turismo e de Destinos Indutores. Essas políticas impulsionaram o desenvolvimento do turismo na região, mas em alguns casos, como no Polo Turístico Costa dos Corais, em Alagoas, os efeitos do turismo na região polarizada por Maceió e Maragogi – os dois destinos indutores do turismo nesse estado – não foram significativos. Os dados para o estudo foram coletados de documentos do Ministério do Turismo, Secretaria de Estado do Turismo de Alagoas (Setur/AL) e de entrevistas com técnicos da Setur/AL. O trabalho identifica lacunas de conhecimento a respeito da regionalização do turismo na região Nordeste, e propõe ampliação nas pesquisas sobre o tema, para que se venha gerar dados e informações para o aperfeiçoamento da política setorial de turismo.

Biografia do Autor

Lindemberg Medeiros de Araujo, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, AL, Brasil

Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente / Mestrado em Arquitetura e Urbanismo, Área de Concentração: Dinâmica do Espaço Habitado, ambos da UFAL. Mestrado em Gestão Ambiental (Inglaterra) e Mestrado em Planejamento Turístico (Inglaterra).

Downloads

Publicado

2014-12-15

Edição

Seção

Artigos originais