Inovação social e empresarização do turismo: as experiências da Fundação Casa Grande no Cariri cearense, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18472/cvt.24n1.2024.dossieTBC.2141

Palavras-chave:

Turismo de Base Comunitária, Fundação Casa Grande, Contra-hegemonia.

Resumo

A partir da experiência da Fundação Casa Grande (FCG), Nova Olinda, CE, este artigo reflete sobre a dimensão contra-hegemônica no Turismo de Base Comunitária (TBC). Atividades de TBC, ao usarem como parâmetros de sucesso métricas mercadológicas, desconsiderando indicadores de desenvolvimento e inovação social podem não estar alinhadas com seus princípios basilares. As atividades de TBC da FCG têm transformado a realidade local. A organização das atividades via microempreendimentos, com a “empresarização”, mesmo que seguindo conceitos e práticas relacionados à inovação e ao empreendedorismo social, traz questões importantes para pensar o TBC. Apresentamos e analisamos este percurso, por meio da literatura pertinente e a partir de visitas a campo, com observação direta e conversas informais. O artigo resulta em novas reflexões, mais do que respostas. O turismo praticado pela FCG está em consonância com os princípios do TBC, mesmo quando imerso em um sistema capitalista, com a lógica do empreendedorismo, buscando imprimir uma configuração social e participativa às atividades realizadas.

Referências

Barros Freire, J. M., Rabinovici, A. & Neiman, Z. (2019). Desafios da autonomia e empoderamento comunitário na gestão da Pousada Uacari na RDS Mamirauá (AM). Caderno Virtual de Turismo, 19(2), 1-25. https://doi.org/10.18472/cvt.19n2.2019.1515

Bartholo, R.; Sansolo, D. G. & Bursztyn, I. (Orgs.) (2009). Turismo de Base Comunitária: Diversidade de Olhares e Experiências Brasileiras 1(1). Letra e Imagem, Rio de Janeiro.

Burgos, A. & Mertens, F. (2015). Os desafios do turismo no contexto da sustentabilidade: as contribuições do turismo de base comunitária. PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 13(1), 57-71. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2015.13.004

Fabrino, N. H.; Nascimento, E. P. do & Costa, H. A. (2016). Turismo de Base Comunitária: uma reflexão sobre seus conceitos e práticas. Caderno Virtual de Turismo. 16(3), 172- 190. http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/1178

Fernández-Aldecua, M. J. (2011). Turismo comunitario y empresas de base comunitaria turísticas: ¿estamos hablando de lo mismo? El Periplo Sustentable, Universidad Autónoma del Estado de México, 20, 31-74. https://www.redalyc.org/pdf/1934/193417856003.pdf

Gabrielli, C. (2015). Fundação Casa Grande e o desenvolvimento turístico de Nova Olinda/CE: novas possibilidades de diálogo entre a cultura local e o Turismo. Turismo: Estudos & Práticas, 4(2). http://periodicos.uern.br/index.php/turismo

Gil, A. C. (1991). Como elaborar projetos de pesquisa. 3. Ed. São Paulo: Atlas.

Gomez, C. R. P.; Falcão, M. C., Castillo, L. A. G.; Correia, S. N. & Oliveira, V. M. de. (2015). Turismo de Base Comunitária como Inovação Social: congruência entre os constructos. PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 13(5), 1213-1227.

https://doi.org/10.25145/j.pasos.2015.13.082

Gómez, C. P., Falcão, M. C., Cherem, L. & Silva, T. N. A. (2016). A participação da comunidade no Turismo de Base Comunitária. Caderno Virtual de Turismo, 6(2), 263-279. https://doi.org/10.18472/cvt.16n2.2016.1190

Graciano, P. F. & Holanda, L. A. (2020). Análise bibliométrica da produção científica sobre turismo de base comunitária de 2013 a 2018. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 14(1), 161-179. http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v14i1.1736

Holanda, C. R. (2021). Um panorama da situação museológica no Cariri Cearense de hoje. In: Silva, J. F.; Oliveira, P. W. A.; Pereira, C. E. G.; Costa, A. P. R. Patrimônio e práticas culturais: perspectivas transdisciplinares da patrimonialização e dos saberes-fazeres populares (pp. 269-287).

Holanda, L. A. (2016). Empresarização do turismo de base comunitária. Caderno Virtual de Turismo, 16(2), 249-262. http://dx.doi.org/10.18472/cvt.16n2.2016.1189

Irving, M. de A. (2009). Reinventando a reflexão sobre turismo de base comunitária: inovar é possível? In: R. Bartholo, D. G. Sansolo & I. Bursztyn. (Eds.) Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp.108-121). Letra e Imagem, Rio de Janeiro.

Irving, M. de A., Azevedo, J.& Lima, M. A. G. de. (2018). Turismo: ressignificando sustentabilidade. Folio Digital: Letra e Imagem, Rio de Janeiro.

Irving, M. de A. & Moraes, E. A. de. (2020). Nos rastros do turismo de base comunitária no Brasil: diálogos e conexões sociais na construção de alternativas contra-hegemônicas. In: K. dos S. Alves (Org.). Diálogos sociais em turismo: elementos hegemônicos e contra hegemônicos (pp. 59-80), Editora Dialética. Belo Horizonte.

Limaverde, R. (2015). Arqueologia Social Inclusiva: a Fundação Casa Grande e a Gestão do patrimônio cultural da Chapada do Araripe Nova Olinda, CE, Brasil. [Tese de Doutorado, Universidade de Coimbra, Coimbra]. Repositório Científico da UC. http://hdl.handle.net/10316/28110

Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social (LTDS) (2011). Marco Referencial Teórico para o Turismo de Base Comunitária. Relatório Técnico Científico. LTDS, Universidade Federal do Rio de Janeiro. https://www.yumpu.com/pt/document/read/12868402/marco-referencial-teorico-para-o-turismo-de-base-comunitaria

Lakatos, E.M. & Marconi, M.A. (2003). Fundamentos da metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Maldonado, C. (2009). O turismo rural comunitário na América Latina: gênesis, características e políticas. In: R. Bartholo, D. G. Sansolo & I. Bursztyn. (Eds.) Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp.25-44). Letra e Imagem, Rio de Janeiro.

Oliveira, R. C. de. (2006). O trabalho do antropólogo (2ª ed.). Paralelo 15, Brasília, Editora Unesp, São Paulo.

Quindins, A. (2023). A responsabilidade dos museus com o presente e o futuro: um apelo à ação [Comunicação Oral]. Jornada Ibero-Americana Museus e Sustentabilidade: ferramentas, práticas e estratégias. Brasília, DF, Brasil..https://www.youtube.com/watch?v=HyGMoixQqlc

Rabinovici, A; Allis, T. & Santos, J. dos. (2023). E vai prestar este museu lá em casa? reflexões sobre a experiência dos Museus Orgânicos na Chapada do Araripe, CE. Cultur - Revista de Cultura e Turismo. UESC. CULTUR - v. 17, n. 02 (nov. 2023). Disponível em: https://periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/3892

Ribeiro, T.; Souza, R. & Sampaio, C.S. (Orgs.). (2018). Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? Rio de Janeiro: Ayvu.

Silva, K. T. P; Ramiro, R. C. & Teixeira, B. S. (2009) Fomento ao turismo de base comunitária: a experiência do Ministério do Turismo. In: R. Bartholo, D. G. Sansolo & I. Bursztyn. (Eds.) Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp.359-373). Letra e Imagem, Rio de Janeiro.

Süssekind, M. L.& Pellegrini, R. (2018). Os ventos do norte não movem moinhos... In: Ribeiro, T.; Souza, R.; Sampaio, C. S. (Orgs.). Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? Rio de Janeiro: Ayvu. Pp. 143-162.

Taumaturgo, I. A & Pereira, R. C. F. (2020). Próxima parada, Nova Olinda/CE: justiça distributiva no turismo de base comunitária. Caderno Virtual de Turismo, 20(2), http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/1707

Vergès, F. (2023). Decolonizar o Museu: Programa de Desordem Absoluta (Trad. Mariana Echalar). Editora Ubu, São Paulo.

Downloads

Publicado

2024-04-25

Como Citar

Rabinovici, A. (2024). Inovação social e empresarização do turismo: as experiências da Fundação Casa Grande no Cariri cearense, Brasil. Caderno Virtual De Turismo, 1(1), 149–168. https://doi.org/10.18472/cvt.24n1.2024.dossieTBC.2141

Edição

Seção

Dossiê temático