Turismo gastronômico sem uma culinária nacional: O caso dos Emirados Árabes Unidos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18472/cvt.23n2.2023.2087

Palavras-chave:

Turismo gastronomico, Culinária nacional, Emirados Árabes Unidos, Chef, Restaurante étnico

Resumo

Os Emirados Árabes Unidos têm investido fortemente em turismo, o que inclui o turismo gastronômico, como estratégia de diversificar sua economia. No entanto, não se evidencia um esforço semelhante para constituir uma culinária nacional, que poderia agregar a dimensão do patrimônio ao turismo gastronômico. Nesse artigo vou analisar os desafios na invenção de uma culinária nacional emirati discutindo três teorias, levantadas por chefs profissionais da área. As teorias apontam ora para  a falta de variedade e ou quantidade de ingredientes vernáculos; ora para a ausência de chefs emiratis, que limitaria a “verdadeira” comida emirati ao espaço doméstico; ou, ainda, para as “caraterísticas culturais” da comida emirati que impediriam adaptá-la aos padrões da gastronomia internacional. Para os chefs, no momento, a única saída para que comida emirati seja apreciada pelos turistas seria transformá-la através da fusão.

Biografia do Autor

Eloísa Martín, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Universidade dos Emirados Árabes Unidos (UAEU), Al Ain, AD

Eloísa Martín é Professora de Sociologia na UFRJ e pesquisadora associada na UAEU. Pesquisa sociologia da cultura e da comida e lidera a primeira pesquisa sobre o papel da comida na construção da nação e na mudança social nos Emirados Árabes

Downloads

Publicado

2023-08-28

Como Citar

Martín, E. (2023). Turismo gastronômico sem uma culinária nacional: O caso dos Emirados Árabes Unidos. Caderno Virtual De Turismo, 23(2), 96–119. https://doi.org/10.18472/cvt.23n2.2023.2087

Edição

Seção

Artigos originais