Povos tradicionais, áreas protegidas, turismo e políticas públicas: o papel emergente da academia

Autores

  • Laura Sinay Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO University of the Sunshine Coast - USC http://orcid.org/0000-0002-9555-0464
  • Rodney William (Bill) Carter University of the Sunshine Coast, Austrália.
  • Maria Cristina Fogliatti de Sinay Universidade do Grande Rio (UNIGRANRIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.18472/cvt.18n3.2018.1524

Palavras-chave:

Áreas protegidas. Comunidades tradicionais. Turismo. Mudança cultural. Políticas públicas. Academia.

Resumo

Este artigo descreve o processo de mudança cultural de uma comunidade tradicional brasileira, os Caiçaras de Martin de Sá, desde o estabelecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação e o início da chegada de turistas (2000 a 2017). Faz isso com o intuito de analisar: (1) a conexão entre a natureza e a cultura nas políticas públicas, e (2) o diálogo entre a Academia e a gestão pública. O artigo conclui que a conexão entre natureza e cultura foi legalmente reconhecida em algumas áreas protegidas do Brasil por meio da Lei Federal nº 9.985/2000. Apesar disso, diversos interesses econômicos, como o agronegócio por exemplo, ainda vulnerabilizam o vínculo entre a natureza e as comunidades tradicionais. Nesse contexto, a Academia tem um importante papel na crítica de políticas públicas, podendo dar suporte aos gestores de áreas protegidas no sentido de maximizar a flexibilidade de instrumentos de políticas de nível inferior. No entanto, no Brasil, a sustentabilidade dos ambientes prístinos e de culturas tradicionais requer políticas que considerem mais amplamente o uso tradicional dos recursos naturais e que empoderem as comunidades tradicionais.

Biografia do Autor

Laura Sinay, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO University of the Sunshine Coast - USC

Atualmente é professora adjunta do Departamento de Ciências do Ambiente do Instituto de Biociências da UNIRIO a Pós-doutoranda no Centro de Pesquisas em Sustentabilidade da Uniersidade da Sunshine Coast. É membra do Conselho Mundial de Áreas Protegidas da União Internacional para a Conservação da Natureza.

Graduada em turismo pelas Faculdades Integradas Helio Alonso, Brasil (1998); Mestre em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002); PhD em Manejo de Recursos Naturais e Turísticos pela Universidade de Queensland, Austrália (2008), e Pós-Doutorado em Geografia Política pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009-2010). 

É coordenadora do projeto de ensino, pesquisa e extensão Parques. Publicou um livro sobre Gestão Ambiental pela Editora Interciência e vários artigos sobre assuntos relacionados à sustentabilidade. Coordenou os processos participativos para a elaboração de estratégias para a sustentabilidade de diversas unidades de conservação da natureza, inclusive do Parque Nacional Galápagos (Equador).

Suas principais áreas de atuação são planejamento e gestão do turismo e de áreas naturais e/ou tradicionalmente habitadas e educação ambiental.

Rodney William (Bill) Carter, University of the Sunshine Coast, Austrália.

Sustainability Research Center.

Maria Cristina Fogliatti de Sinay, Universidade do Grande Rio (UNIGRANRIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Possui graduação em Matemática pelo Instituto de Matemáatica,Astronomia y Fisica ,da Universidad Nacional de Cordoba ,Argentina(1971), Master In Arts pelo Queens College da City University of New York ,USA ,(1975) e PhD em Applied Mathematics pelo Graduate Center da City University of New York ,USA ,(1978). Fez pós-doutorado na Universidade de California,campus Sao Diego,USA,1989-1990. Foi professora titular do Instituto Militar de Engenharia no Mestrado em Engenharia de Transportes( nov 1981- abril de 2010). Atualmente é professora doutora na Escola de Ciências Sociais ,Mestrado em Administraçao da UNIGRANRIO. Tem experiência nas áreas de Matemática,Pesquisa Operacional, Probabilidade e Estatística, e Meio Ambiente com ênfase na aplicação de modelos,sistemas,teorias,heurísticas e gestão ambiental em problemas de transportes(planejamento e operação) Ë pesquisadora do CNPq ,consultora Ad-Hoc do CNPq,Capes,Faperj,Fundação Araucaria. Fez parte do Conselho Editorial da Revista Militar de Ciência e Tecnologia.Atuou como co- Editora da Revista de Transportes e Diretora Executiva da Associação Nacional de Pesquisas e Ensino de Transportes no periodo jan 2007-dez 2008. É autora de três livros editados pela Interciência nas áreas de Teoria de Filas e Meio Ambiente.Tem participado e publicado trabalhos científicos em Congresos Nacionais e Internacionais ,assim como em períodicos da área e em bancas de dissertações e tesis e Concursos Públicos em Universidades Federais do Pais onde também tem proferido palestras a convite.

Downloads

Publicado

2019-05-26

Como Citar

Sinay, L., Carter, R. W. (Bill), & Sinay, M. C. F. de. (2019). Povos tradicionais, áreas protegidas, turismo e políticas públicas: o papel emergente da academia. Caderno Virtual De Turismo, 18(3). https://doi.org/10.18472/cvt.18n3.2018.1524

Edição

Seção

Dossiê temático