Maracatu de Baque Solto: de brincadeira a patrimônio cultural

Giorge Patrick Bessoni e Silva

Resumo


O Maracatu de Baque Solto, bem reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil em 2014, é um bem cultural com características plásticas, cênicas, musicais e poéticas próprias, originado do contexto dos engenhos de cana-de-açúcar da Zona da Mata Norte do estado de Pernambuco. Sua culminância expressiva se dá no carnaval, embora seu calendário anual não se resuma, de modo algum, a esse período. Este artigo busca, pois, descrever e apresentar o Maracatu de Baque Solto e seu processo de patrimonialização. Esse bem cultural foi inscrito no Livro de Registro das Formas de Expressão e o processo de reconhecimento põe em cena aspectos culturais e simbólicos que vão além da expressividade do maracatu no carnaval, o que permite revelar um bem cultural que opera mecanismos e relações que abrangem variados aspectos da vida social. Assim, mais do que “folclore”, ou uma manifestação cultural que se apresenta para o público no carnaval, o Maracatu de Baque Solto é parte constitutiva da vida cotidiana de comunidades do contexto canavieiro da Zona da Mata Norte pernambucana e das periferias de cidades da Região Metropolitana de Recife.


Palavras-chave


patrimônio imaterial, maracatu de baque solto.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18472/cvt.21n2.2021.1943



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.