Turismo e geografia: perspectivas da Indicação Geográfica (IG) no planejamento territorial

Lício Valério Lima Vieira, Roberta Nascimento G Soares

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a relação turismo e geografia a partir da criação de uma Indicação Geográfica (IG). Considera-se a importância neste contexto do planejamento territorial, evidenciado pelas políticas e ações que o conduzem ao fortalecimento da identidade cultural como estratégia de desenvolvimento para o turismo sustentável. Outro aspecto que também deve ser considerado neste contexto refere-se a uma visão planejada do turismo em torno dos territórios interligados em rede, com seus fluxos materiais e imateriais associados aos diversos destinos e suas áreas periféricas que compõem uma região turística. Nesse aspecto, a adoção de Indicação Geográfica (IG) para produtos com forte identidade cultural é um caminho para a valorização dos patrimônios identitários, territórios e cultura regional, fundamentais para criação de serviços e atrativos turísticos competitivos e sustentáveis. A metodologia utilizada para a construção deste artigo tem como base a pesquisa bibliográfica e documental, que compõem as estratégias da revisão sistemática. As IGs associadas ao turismo podem colaborar para a dinâmica de preservação e desenvolvimento sustentável dentro dos territórios, bem como valorizar produtores e produtos com tradição e singularidade, diferenciais enraizados na cultura local, além da ligação com a própria geografia e territorialidade.

Palavras-chave


Turismo, Território, Indicação Geográfica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18472/cvt.19n3.2019.1497



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.